Cadernos de ViagemTwo Feet on the Ground

Praga, a cidade das cem torres

As torres e espirais dominam a paisagem da capital da República Checa, e conquistam os visitantes à primeira vista. No coração da Europa, Praga transporta-nos para a magia de outros tempos. Afinal, é uma das cidades mais ricas em estilos arquitectónicos de toda a Europa.

Praga é conhecida como a cidade das cem torres, mas são hoje mais de 500 – e a contagem continua. Igrejas barrocas, catedrais góticas, edifícios renascentistas, e até antenas inusitadas, todas contribuem para a peculiar paisagem da capital europeia. Mas não só de torres é feita Praga. Praga tem um encanto especial, entre um charme boémio e um clima de romantismo, que não deixa ninguém indiferente.

Se estás a pensar visitar esta capital da Europa Central, dedica-lhe pelo menos 3 ou 4 dias. Assim, podes desfrutar a cidade calmamente e ficar a conhecer o que de melhor tem para oferecer. Praga é uma capital relativamente pequena, por isso podes facilmente explorar a cidade a pé. Desbrava as ruas medievais que parecem esconder cavaleiros em busca de socorrer princesas em apuros a cada torre e perde-te nos encantos de outros tempos. O centro histórico de Praga, listado pela UNESCO como património cultural e natural da humanidade em 1992, é conhecido como Staré Město e marca a Cidade Velha. As praças, igrejas e edifícios históricos desta zona fazem dela a mais medieval de Praga e concentram grande parte das “cem torres”.


Praga é a cidade das “cem torres”, mas podia ser também a cidade das pontes. Atravessada pelo rio Moldava (em checo, Vltava), o maior da República Checa, Praga tem inúmeras pontes que fazem a ligação entre as duas margens. A Charles Bridge (Karlův Most), inaugurada em 1402, é a principal e mais antiga ponte de Praga. Foi a primeira ligação entre a Cidade Velha (Staré Město) e a Cidade Pequena (Malá Strana). É, hoje, um dos locais mais concorridos de Praga. As suas torres nas extremidade e as estátuas barrocas expostas ao longo de seus 516 metros de extensão atribuem-lhe um encanto especial.

Junto à Ponte de São Carlos encontras o Oroloj, o relógio astronómico mais famoso do mundo. O relógio medieval foi construído em 1410 pelo mestre relojoeiro Hanuš de Růže e aperfeiçoado durante o século XVI. A sua função não era apenas para dar a hora, mas representar as órbitas do Sol, da Lua e das estrelas. Parte da Torre do Relógio, o Relógio Astronómico é um verdadeiro monumento à observação dos ceús. De hora a hora, o relógio reproduz um desfile onde 12 apóstolos que saem das suas janelas superiores. Sobe à Torre do Relógio apreciar a vista panorâmica para todo o centro histórico.

A Praça da Cidade Velha, onde se localiza a Torre do Relógio, é o centro da vida pública em Praga desde a Idade Média. Hoje, é um dos principais e mais agradáveis locais de Praga. Para além da sua agitação cosmopolita, está composto por edifícios históricos. Visita a  Igreja de Nossa Senhora de Týn, a Igreja de São Nicolau, Galeria Nacional de Praga e a Prefeitura da Cidade Velha – onde se instala a Torre do Relógio e o Relógio Astronómico. Segue pela rua Celetná e vais encontrar a mais famosa torre da cidade: a Torre da Pólvora (Prašná brána). A escura torre gótica é um dos símbolos mais representativos de Praga. Construída em 1475, tornou-se mais tarde, durante o século XVII, um local de armazenamento de pólvora – o que lhe atribuiu o nome atual. Do oposto está a Casa Municipal, um dos edifícios de estilo nouveau mais importantes de Praga. 

É também do lado do rio da Cidade Velha que se situa Nové Mesto (Cidade Nova), Josefov (Bairro Judeu) e Vysehrad. Continua o passeio até Malá Strana, a Cidade Pequena, uma das zonas mais antigas da cidade. Está localizada aos pés do Castelo de Praga e reúne um grande número de pontos turísticos. O que mais impressiona na Cidade Pequena é o magnífico estado de conservação em que se encontram os seus edifícios, desde há séculos.

Caminha para zona de Hradčany e vai até ao Prazsky Hrad, que é como quem diz, o Castelo de Praga. Situado no ponto mais alto da cidade, o imponente castelo pode ser facilmente visto de qualquer ponto da cidade. A história de Praga confunde-se com a própria história do castelo. Devido à sua localização estratégica, o castelo rapidamente se tornou o centro do território, e a residência dos Reis da antiga Boémia. No seu interior, o castelo dispõe de um palácio, uma catedral, dois museus, diversas galerias, salas de concerto, e uma das melhores vistas da cidade.

No interior do Castelo de Praga encontras também a mais importante catedral de Praga. A Catedral de São Vito, cuja construção se iniciou no século XIV e terminou apenas entre os séculos XIX e XX, abriu as portas ao público apenas em 1929. É a igreja mais notável de Praga e um símbolo do espírito da nação checa. A catedral guarda as tumbas de antigos reis e santos, as Jóias da Coroa e é o lugar de coroação dos reis da Boémia.

É dentro do recinto do Castelo que podes também visitar a Basílica e Convento de São Jorge, o Antigo Palácio Real, e uma série de outros monumentos. Entre eles, a Torre Daliborka, a Torre Negra e a Torre Branca. Ainda no interior do recinto do castelo, encontras a pequeno Rua do Ouro, uma rua muito peculiar. Ocupada por pequenas casas colorida das que são, nos dias de hoje, pequenas lojas de artesãos – de armaduras, marionetas e até armas medievais. Entre 1916 e 1917, a pequena casa número 22 foi habitada pelo famoso escritor checo Franz Kafka, o que a torna a Golden Lane ainda mais famosa.

Vai em direção a Petřín e pelo caminho passa na St. Nicholas Church – sim, há duas Igrejas de São Nicolau em Praga – e na Igreja de Nossa Senhora da Vitória. No interior da última, vais encontrar a famosa estátua do Menino Jesus de Praga. Sobe até ao topo da colina de Petřín (Petřín Hill), um dos espaços mais verdes de Praga. No jardim podes encontrar uma versão miniatura da Torre Eiffel (Petřín Tower), o Labirinto de Espelhos (Mirror Maze) e a Igreja de St. Michael. Aproveita o final de tarde com vista privilegiada para Praga.

Antes do regresso à Cidade Velha, se for o caso, faz uma paragem antes de atravessar o rio para Lennon Wall. O primeiro desenho nesta parede surgiu no início da década de 80, numa época onde imperava o comunismo soviético na antiga Checoslováquia, e o mundo chorava a morte de John Lennon. A polícia entendeu a obra de arte como expressão de protesto e vandalismo, e mandou pintar o muro. Por cada vez que o muro ia sendo pintado, novas representações do ex-Beatle iam surgindo, até que se foram acumulando. Ao longo dos anos, o muro foi sendo preenchido com novas mensagens, pinturas e diversas demonstrações artísticas. Hoje, já não só num memorial a John Lennon e os seus ideais de paz, mas também numa manifesto pela liberdade de expressão.

Caminha até Bairro Judeu, um dos mais históricos da cidade. É aqui que se situa o Cemitério Judeu de Praga. O antigo cemitério foi, durante mais de 300 anos, o único lugar onde era permitido enterrar judeus. Estima-se que estejam ali sepultados mais de 100.000 corpos. É um dos lugares mais impactantes da cidade, que conta também parte da sua própria história. Completa a visita e conhece as 6 sinagogas judaicas que ainda existem. Começa pela Sinagoga Pinkas, mesmo à entrada do Cemitério Judeu, e a Sinagoga Klausen, à saída do Cemitério. Segue-se a Sinagoga Staronová (Sinagoga Velha-Nova), a Sinagoga Vysoká, a Sinagoga Espanhola e a Sinagoga Maisel. Construída em 1270, a Sinagoga Velha-Nova é mais antiga sinagoga da Europa ainda em funcionamento.

Aproveita para passar pelo icónico Monumento a Franz Kafka, ainda no Bairro Judeu. A estátua retrata o escritor aos ombros de uma figura sem cabeça, em referência à obra do autor “Description of a Struggle”. Depois de visitar o Bairro Judeu, podes aproveitar para conhecer a cidade pelo rio Moldava. Há saídas de barco junto à Ponte Cechuv e os passeios de barco costumam durar à volta de 1 ou 2 horas . Os trajetos variam, mas todos eles permite que descubras pontos que passam despercebidos de outra forma. Há também alternativas que incluem almoço ou jantar a bordo, ou experiências mais requintadas.

Caminha pela rua Pařížská, a rua mais cara da cidade, onde se situam lojas das principais marcas de luxo do mundo. Segue em direção à Nové Mesto, a Cidade Nova. No coração da Cidade Nova vais encontrar a Praça Venceslau (Wenceslas Square). A importante praça presenciou muitos dos acontecimentos da história mais recente de Praga e da própria República Checa. O edifício mais famoso da praça é o Museu Nacional de Praga, mas a praça é maioritariamente composta por hotéis, restaurantes, e lojas de comércio local e de grandes marcas internacionais. É também aqui que podes encontrar algumas das melhores discotecas de Praga.

Na verdade, a discoteca mais conhecida de Praga fica junto à ponte Charles Bridge. A Karlovy Lázne é das discotecas mais famosas da Europa, e a maior da Europa Central. É composta por 5 pisos, todos diferentes, e cada um deles passa um género de música diferente.

Entre a Wenceslas Square e a Legion Bridge, a Ponte da Legião, vai encontrar uma nova estátua de Kafka. O busto cinético do escritor tem 11 metros de altura e é composto por 42 painéis rotativos, em que cada cama gira individualmente. Caminha até junto do rio e vais encontrar a Dancing House. A Tančící dům é um prédio com uma arquitetura totalmente fora dos padrões da cidade. Alguns locais apelidaram este edífico como “The Drunk House”, “a casa bêbada”, lembrando uma qualquer noite embriagada de sábado junto ao rio Vltava. Sobe até ao bar no topo, relaxa e desfruta da vista para a cidade.

Caso tenhas curiosidade em visitar a torre mais alta de Praga, procura pela Torre Zizkov. Esta torre é uma antiga torre de televisão com uma história peculiar. Odiada pela população local que, após a sua construção em 1992, alegava que a torre não combinava com o resto da cidade, a torre é hoje um dos destinos mais populares de Praga. A par disso, corria o mito urbano de que a torre tinha sido construída para controlar todas as conversas tidas em Praga. Em 2010, o artista checo David Cerny, acrescentou 10 estátuas de bebés gigantes a escalar as paredes exteriores da torre e, desde então, a torre tornou-se num inovador centro de arte, restauração e um ponto de observação panorâmico da cidade. Com os seus 216 metros de altura é considerado o edifício mais alto da República Checa.

Um dos “must-do” em Praga assistir a uma obra no Teatro Negro. Apesar de um tipo de teatro representado em outros países, a sua origem foi em Praga. O Teatro Negro é caraterizado pelos actores vestidos de preto a representarem sobre o fundo preto do teatro, onde o espectador só consegue ver o que vê graças ao jogo de luzes e aos efeitos especiais. Objetos iluminados, artigos fluorescentes ou personagens a flutuar narram histórias extravagantes, e fazem com que esta seja uma das experiências mais surrealistas que podes ter em Praga. Não existe diálogo falado nestas obras, apenas algumas canções e efeitos sonoros, e a história é contada através do movimento. Um dos melhores locais para assistir a uma peça de Teatro Negro é, claro, naquele que foi o primeiro teatro exclusivamente de luz negra do mundo: o Black Theater of Jiri Srnec. Para os fãs dos clássicos, o Ta Fantastika é o local ideal. As obras mais famosas são “Aspects of Alice”, que narra a passagem da infância à adolescência de Alice, depois de deixar o País das Maravilhas, ou “The Little Prince”.

No que toca à gastronomia, a cozinha checa é tradicionalmente à base de carne e legumes. Faz uma pausa para o almoço e experimenta o prato mais famoso e típico de Praga, o goulash. Existem diferentes formas de o confecionar, mas a sua base é um guisado de carne com vegetais. Outra opção é o Vepřo Knedlo Zelo, considerado o prato nacional da República Chega. É confecionado com carne de porco, almôndegas e repolho. Também muito conhecido é o rízek, ou schnitzel, que consiste em bifes de carne panada. Muitos dos pratos checos são acompanhados por knödel, uma espécie de pão checo. Comer na rua em Praga é muito barato e o mais típico são as salsichas no pão. Acompanha as refeições com uma cerveja, uma bebida muito consumida no país inteiro. A cerveja mais popular no país é a Pilsner Urquell, mas muitos restaurantes fazem a sua própria cerveja artesanal.

Se ficares em Praga mais tempo, aproveita para visitar algumas cidades ali perto. Consegues facilmente visitá-las durante um dia, com ida e volta a partir de Praga. Terezin, a 60 quilómetros a noroeste de Praga, é uma cidade conhecida pelo seu campo de concentração: o Campo de Concentração de Theresienstadt. Já Plzeň (Pilsen) foi uma das capitais culturais da Europa e fica apenas a 1 hora de Praga. Vale pela visita à a cervejaria Pilsner Urquell, a maior cervejaria da República Checa, e pelo seu centro histórico. Saído de um conto de fadas, e apenas a 40 minutos de comboio de Praga, encontras o Karlstejn Castle. Repleto de lendas e histórias de outros tempos, o impressionante castelo vale a visita. Se és fã da Guerra dos Tronos (e mesmo que não sejas), dá um salto a Kutna Hora. A pequena vila localizada a 1 hora de Praga é o local ideal para fugir ao ritmo da capital checa. Mas o que, de facto, leva as pessoas a visitarem Kutna Hora é uma pequena e peculiar igreja a poucos quilómetros da vila. A Roman Catholic Churc é conhecida por Sedlec Ossuary, o Ossoário de Sedlec. O interior da igreja é totalmente decorado com ossos humanos – restos mortais de milhares de pessoas que morram durante a Peste Negra.

Já dizia o escritor Franz Kafka sobre a sua cidade-natal “Praga “não nos deixa ir embora, esta velha tem garras”. E não podia concordar mais.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.