Cadernos de ViagemSabores do MundoTwo Feet on the Ground

No Camboja, ajudar sabe bem

A gastronomia do Camboja não é tão reconhecida internacionalmente como a dos seus vizinhos Tailândia e Vietname, mas isso está prestes a mudar. Um pouco por todo o país, e especialmente na sua capital Phnom Phen, surge um novo conceito gastronómico: onde ajudar, sabe bem – literalmente!

O Camboja é hoje um país vibrante e de uma beleza inegável, mas nem sempre a sua história foi tão assim animadora. Não há muitos anos atrás, o Camboja foi vítima de um genocídio por parte do Khmer Rouge que dizimou quase um terço da sua população. Esta história angustiante – que podes ficar a conhecer melhor aqui – deixou marcas profundas no seu povo. Hoje, há ainda muitas memórias vivas que recordam o seu passado difícil, como homens com membros amputados ou crianças a mendigar pelas ruas. Uma parte significativa da população do Camboja vive abaixo limiar da pobreza. Contudo, apesar da sua história negra, os cambojanos são um povo excepcionalmente afável, resiliente e positivo, numa procura constante por um futuro melhor.

Por todo o país vais ficar a conhecer as mais diversas iniciativas sociais que visam combater a pobreza, o tráfico humano e apoiar mulheres e jovens desfavorecidos que vivem na rua, em abrigos ou orfanatos. Mas há um conceito que parece estar a ganhar força nos últimos anos no Camboja: o dos restaurantes-escola. Estes restaurantes acolhem e dão formação a jovens desfavorecidos para que estes possam, mais tarde, trabalhar no ramo do turismo e da restauração, assegurando-lhes um futuro mais promissor. Ao mesmo tempo que estes jovens se preparam para o futuro, ajudam a dinamizar cozinha khmer e a colocá-la nas bocas do mundo.

Phnom Phen é casa de uma série de restaurantes que funcionam como escolas de cozinha, mas o conceito pode ser encontrado um pouco por todo o país, e até em países vizinhos. Estes programas de formação vocacional são uma das formas mais rápidas e eficazes para combater a pobreza e o tráfico humano, e contribuir para o desenvolvimento do país. Praticamente todos estes restaurantes não têm fins lucrativos e são baseados num modelo de negócio social com grande impacto. As ONGs por trás destes restaurantes-escola desenvolvem os seus programas de apoio sem qualquer custo para os estudantes, garantindo-lhes apoio durante todo o período da sua formação, e até na procura do primeiro emprego. Sendo o setor do turismo o mais dinâmico do país, estes programas permitem que estes jovens se tornem financeiramente independentes e tenham mais hipóteses de um futuro mais seguro.

Os ganhos com as refeições servidas pelos restaurantes são reinvestidos nos seus alunos e nas comunidades locais. Além de garantir a educação dos seus alunos atuais, estes ganhos são canalizados para ensinar novos alunos, criar novos programas sociais e desenvolver parcerias para dar continuidade aos projetos. Além de investirem no futuro das próximas gerações, e do país, através da gastronomia, as preocupações ao nível da sustentabilidade são também um dos focos destas organizações. Afinal, de que serve assegurar um futuro aos jovens das gerações futuras, se estes não tiverem um mundo (sustentável) para viver.

Uma refeição num destes restaurantes é sem dúvida uma experiência única, e que nos deixa um profundo sentimento do respeito e apreciação pelo povo cambojano. Ao jantar num destes restaurantes-escola estamos não só a apreciar uma refeição tradicional de qualidade, mas também a participar ativamente na formação destes jovens, permitindo que pratiquem suas habilidades, e a contribuir financeiramente para o seu futuro. Por via da gastronomia do Camboja, acabamos por descer com os pés à terra e apreciar ainda mais aquela refeição que temos diante de nós. Na verdade, não é fácil encontrar uma outra experiência que nos faça colocar tanto em perspetiva, como visitar o Camboja, conhecer a sua história e o seu povo.

Há inúmeros projetos no Camboja que seguem este conceito de restaurante-escola, e que merecem ser devidamente explorados. Apesar de serem muito semelhantes na sua essência, variam no conceito e nos programas sociais que apoiam. Deixo-te a minha recomendação para 3 restaurantes que visitei durante a minha viagem pelo Camboja, e que aconselho vivamente.

Friends the Restaurant (Phnom Penh)

O Friends the Restaurant é um dos mais conhecidos e apreciados restaurantes em Phnom Penh. A sua cozinha criativa, que apela à partilha, tem influências de todo o mundo. A oferta é extensa e no menu vais encontrar uma cozinha de fusão de pratos mais ocidentais com a gastronomia contemporânea do Camboja. Para “os que procuram aventura”, ou os mais corajosos, existe até um hambúrguer de insectos. Mais que um “restaurante de treino para jovens marginalizados”, como a placa à porta indica, o Friends é um restaurante muito convidativo, com um ambiente descontraído e acolhedor, e uma oferta gastronómica deliciosa.

O Friends the restaurant faz, contudo, parte de algo maior: a Friends Internacional. A Friends é uma ONG que desenvolve projetos sociais para apoiar crianças e jovens desfavorecidos e as comunidades locais. Já TREE Aliance, parte da Friends International, é aliança global de restaurantes-escola que oferece aos seus alunos possibilidade de construir um futuro melhor através de uma experiência gastronómica autêntica. Hoje, a TREE conta com 7 restaurantes-irmãos no Camboja, e ainda no Laos e Myanmar.

Romdeng (Phnom Penh)

O Romdeng é um dos restaurantes-irmãos do Friends the Restaurant, também ele em Phnom Penh. Situado num espetacular edifício colonial, rodeado por uma piscina e jardim exuberantes, o Romdeng serve refeições inspiradas na cozinha mais tradicional do Camboja. O conceito do restaurante pretende celebrar as melhores coisas da vida – família, amigos, comida e tradição -, e por isso os pratos são ideias para partilhar. Aqui vais encontrar os pratos mais tradicionais do Camboja, e iguarias mais como os grilos e sapos fritos.

► LER: Siem Reap, e a cidade perdida de Angkor Wat

Haven (Siem Reap)

O Haven é mais um caso de um restaurante-escola, muito inspirador, que dá formação de cozinha a jovens órfãos. Situado em Siem Reap, o Haven que faz parte de um projeto social que oferece ajuda a jovens desfavorecidos. Para quem vê de fora, parece só mais um restaurante, mas o Haven não deixa indiferente quem o visita. Além de servir como restaurante, funciona também como centro de treino na indústria da restauração e hotelaria. O espaço é muito engraçado, tranquilo e reconfortante. O menu é composto por pratos tradicionais da cozinha Khmer, e também algumas fusões feitas pelo chef, todos eles deliciosos e muito bem confecionados.

Se estiveres interessado em conhrcer mais restaurantes e projetos deste género, o Lonely Planet tem uma lista apelidada “Good-cause dinning” e que podes ver aqui.

► LER: Phnom Penh, a sorridente capital do Camboja


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.