Cadernos de ViagemTwo Feet on the Ground

Hoi An, a cidade das lanternas

Na costa central do Vietname situa-se uma pequena cidade portuária incrivelmente bem preservada: Hoi An. Frequentemente referida como a mais encantadora cidade do Sudoeste Asiático, Hoi An é uma cidade rica em influências que lhe atribuem um charme e encanto especiais. Ao cair da noite, Hoi An torna-se ainda mais especial.

Entre a frenética capital Hanoi e o caos organizado de Ho Chi Minh, encontramos a encantadora Hoi An. Praticamente a meia distância entre as duas principais cidades do Vietname, surge esta pacata cidade antiga que apaixona até os mais céticos.

Outrora uma cidade mercantil, foi porto de abrigo de grandes trocas comerciais entre os mais diversos povos. A cidade nasceu de uma pequena colónia comercial com dois bairros: um chinês, o outro japonês. Hoi An foi crescendo, pela sua localização estratégica nas margens do rio Thu Bon e muito próxima do mar, e tornou-se um dos mais importantes portos comerciais do Sudoeste Asiático entre os séculos XV e XIX. O porto marítimo de Hoi An era um ponto fundamental nas rotas comerciais do próprio Oriente e entre o Oriente o Ocidente. Seda, cerâmica, especiarias e plantas medicinais eram apenas alguns dos muitos bens ali transacionados. Deste período áureo, restou um rico misto de influências vietnamitas, japonesas, chinesas e francesas. A antiga Ponte Japonesa, que une os dois antigos bairros – chinês e japonês -, é hoje uma das principais atrações turísticas da cidade vietnamita.

Já no século XIX, o rio Thun Bon tornou-se muito raso para a navegação devido ao assoreamento, e Hoi An perdeu a sua importância como porto de comércio. Com a cidade de Da Nang, ali muito perto, a tornar-se uma grande cidade portuária, a pequena Hoi An foi caindo no esquecimento, tendo mesmo sido apelidada como a “cidade morta”. Essa foi, contudo, a salvação de Hoi An. A pequena cidade permaneceu praticamente intacta durante a Guerra do Vietname, salvando-se também do modernização que foi acontecendo em outras cidades vietnamitas ao longo dos séculos seguintes.

Classificado como património mundial pela UNESCO, a Old Town de Hoi An é um dos centros históricos mais bem preservados. Para circular no centro histórico é necessário adquirir um bilhete. Este bilhete permite circular livremente pela Old Town e dá acesso a 5 dos 22 edifícios históricos da cidade antiga de Hoi An. Ainda que não exista um controlo físico, ao comprares o bilhete ajudas na preservação deste museu cultural a céu aberto.

O centro histórico de Hoi An é um veradeiro charme. Além das pequenas casas e antigos armazéns dos mercadores chineses e japoneses, extremamente bem preservados, em Hoi An só é permitido circular a pé ou de bicicleta. Por ser uma cidade pequena, o melhor é deixar a bicicleta à entrada e vaguear pelas ruas da cidade. Entre antigas casas, assembly halls, museus, lojas de artesanato local, galerias de arte, restaurantes, cafés e livrarias, há muito por onde explorar as histórias antigas de Hoi An.

As suas habituações históricas são hoje uma espécie de museu da cidade, e cada uma dela contam um pouco da sua história. Templo Quan Dong, Duc An, Quan Thang, Phug Hung e Tan Ky são apenas alguns exemplos destas habitações construídas pelos comerciantes há séculos atrás. A antiga casa Tan Ky é uma construção em madeira talhada com mais de 200 anos que passou por mais de 7 gerações da mesma família vietnamita. Já Phung Hung é um dos edifícios arquitectónicos mais conhecidos de Hoi An, e já foi habitada por 8 gerações. Cau Chua Pagoda – a Ponte Japonesa – é o cartão postal da cidade.

Hoi An sempre foi uma cidade de grande importância na área têxtil. Hoje, é também muito conceituada pela alfaiataria. A cada esquina existe um alfaiate que nos oferece a oportunidade de produzir roupas feitas à medida numa questão de horas, e a um preço muito atrativo.

A gastronomia vietnamita é particularmente rica em sabores, mas a mistura de influências culturais rendeu a Hoi An uma gastronomia sem igual. De pequenas barraquinhas de comida pelas ruas, passando pelo mercado central, até sofisticados restantes, Hoi An é um destino gastronómico no Vietname. As aulas de culinária e os passeios gastronómicos, disponíveis por toda a cidade, são uma experiência a não perder para qualquer foodie. Quase todas elas, oferecidas pelos restaurantes da cidade, começam de manhã cedo com aos produtores que abastecem o restaurante, seguindo uma visita ao mercado central para comprar ingredientes frescos para o dia, e termina numa sala com o chef a ensinar a preparar alguns dos pratos locais mais famosos.

O Cao Lau é o prato típico de Hoi An e é composto por um prato de noodles grossos servidos com fatias finas da barriga do porco, aromatizado com ervas frescas, rebentos de soja, flor de anis estrelado e um caldo muito saboroso a acompanhar. Para decorar leva pequenos quadrados de massa frita, biscoitos de arroz grelhados ou folha de arroz crocante. 

O Taste Vietnam é o império gastronómico da internacionalmente reconhecida Ms. Vy, que conta com vários restaurantes em Hoi An – e ainda alguns dentro e fora do Vietname – e uma escola com aulas de culinária que vale a pena explorar.

LER: Taste Vietnam, o império gastronómico da Ms. Vy

Quando o sol se põe e a noite cai, Hoi An torna-se ainda mais encantadora. Os milhares de lanternas coloridas pelas fachadas das casas, restaurantes e lojas acendem-se e iluminam as ruas de um encanto sem igual. O centro da cidade enche-se de luz e cor, e Hoi An ganha outro encanto. À medidas que se caminha até à margem do rio Thu Bon, vê-se centenas de pequenos pontos de luz no rio. Fazem parte de um dos rituais mais pitorescos de Hoi An. Os locais (e os turistas) acendem velas em pequenos barcos de papel, muitos deles em forma de flor de lótus, e lançam-nos ao rio, ao mesmo tempo que fazem um pedido. Ao mesmo tempo que a luz das lanternas reflete nas águas do rio. É a magia de Hoi An a acontecer. Do outro lado do rio, o Mercado Noturno leva-nos a viajar por um mundo novo. Dezenas de vendedores locais, iluminados pelas lanternas, vendem uma variedade de iguarias, bugigangas, roupas, jóias, acessórios e artesanato local.

Todos os meses, em noite de lua cheia, acontece o Full Moon Festival, também conhecido por Festival das Lanternas. Como o primeiro nome indica, realiza-se em noites de lua cheia no 14º dia do ciclo lunar do mês. Realiza-se para homenagear os antepassados com oferendas nos altares das casas. Para que a sorte e a prosperidade entrem nas suas casas, as pessoas queimam notas (falsas). É um momento muito especial para todos os habitantes de Hoi An, e toda a cidade se prepara para o festival. Durante a noite, as luzes da cidade apagam-se e as permanecem apenas iluminadas pelas lanternas coloridas. A cidade sai à rua para celebrar, com espectáculo de teatro, música e dança por toda a cidade.

Hoi An é uma cidade pequena e é possível conhecer a cidade de uma ponta à outra num dia, mas vais fazer querer ficar mais tempo. É uma cidade relaxante num país frenético. É uma cidade pequena, mas repleta de cultura, diversidade e história. Há ainda a possibilidade de pegar numa bicicleta e pedalar até à praia mais próxima, a cerca de 3 km. Depois de passar pelos campos de arroz, com os búfalos, encontras a praia de An Bang. Não é uma praia paradisíaca, mas permite estender o momento de relaxamento com um mergulho no mar e uns banhos de sol na areia.

➳ LER ARTIGO: Hoi An, a charmosa cidade das lanternas


DE VISITA AO VIETNAME? DESCOBRE MAIS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.