Dicas de ViagemTurismo SustentávelTwo Feet on the Ground

Turismo sustentável: como podemos ajudar

Viajar é mais fácil que nunca! Facilmente chegamos de um lado ao outro do planeta, ou a uma localização recôndita em apenas algumas horas. A massificação do turismo veio tornar as viagens mais fáceis e acessíveis para todos, mas trouxe muitos desafios à forma como preservamos o planeta onde vivemos. Ainda assim, há cada vez mais viajantes a procurar viajar de forma mais ecológica e sustentável.

Nos últimos anos, como forma de a massificação do turismo, começou a ouvir-se falar mais do turismo responsável. Mas o que significa afinal este conceito? O turismo sustentável não é mais que viajar de uma forma responsável, através da redução do impacto que as viagens que fazemos tem no meio ambiente e no nosso planeta. Apesar de o turismo ser um dos principais motores da economia de muitos países a nível mundial, o turismo em massa veio também criar impactos menos positivos nas comunidades, culturas, vida selvagem, natureza e no planeta. Por isso, como é que podemos minimizar o nosso impacto ambiental quando viajamos?

Aqui ficam algumas dicas de como podes de forma sustentável deixar um impacto positivo no destino para onde vais viajar e manter mais sustentável.

Procura alternativas sustentáveis

Do alojamento aos restaurantes, e até às próprias experiências, procura alternativas em que contribuíram para causas sociais e ecológicas, ou que “simplesmente” tenham uma visão mais sustentável do seu negócio. Experimenta ficar em guesthouses ou boutique hotels, em vez de grandes cadeias hoteleiras. Desta forma, estás a ajudar as comunidades locais, e terás certamente uma experiência muito mais autêntica e envolvente. Há cada vez mais opções de  ecoturismo com iniciativas que promovem um turismo sustentável e preservam o meio ambiente. Em Bali encontras hotéis feitos inteiramente de bamboo e praticamente auto-sustentáveis do ponto de vista energético e agrícola – espreita a Green Village. No Camboja há inúmeros restaurantes que funcionam como escola de formação para futuros e que apoiam jovens desfavorecidos. Às vezes isto implica gastar um pouco mais, mas vale cada cêntimo.

Pesquisa antes de marcar o que quer quer seja

No seguimento do ponto em cima, a melhor dica é a de fazeres alguma pesquisa antes de viajar. Isto aplica-se a qualquer tipo de viagem, na verdade. Procura alojamentos, restaurantes, cafés e tours com base no quão “verdes” são ou na sua abordagem ao tema da sustentabilidade. Optar por alternativas que tenham preocupações ambientais é uma das formas mais positivas de como podes viajar de forma mais sustentável.

Privilegia os transportes públicos

Sempre que viajo, procuro qualquer oportunidade para utilizar transportes públicos. É quase sempre uma aventura, uma verdadeira experiência cultural e uma excelente forma de ter um contacto mais autêntico com os locais. Além disso, é uma das formas com mais impacto de como podes reduzir a tua pegada ecológica. Na tua próxima viagem, apanha o autocarro, anda a pé, aluga uma bicicleta ou segue para o teu próximo destino de comboio. Reduz ao máximo os transportes privados, os táxis e os voos. Troca a comodidade pela experiência e aventura. Para os mais aventureiros, viajar à boleia, de mota ou de bicicleta é também uma excelente alternativa.

Evita o consumo de carne

Está provado que o consumo excessivo de carne é prejudicial para a saúde – a tua e a do planeta . Não significa que tenhas que mudar radicalmente a tua alimentação de um dia para o outro, mas é importante teres consciência do impacto que as tuas escolhas podem ter. Reduzir o consumo de produtos de origem animal, nomeadamente a quantidade de carne que consomes, tem um impacto positivo. Muitos destinos do Sudoeste Asiático, como Bali, na Indonésia, ou Hoi An, no Vietname, são um excelente ponto de partida para experimentares pratos vegetarianos ou até vegan. Afinal, a gastronomia é também uma das melhores formas de conhecer um país, e assim combinas o melhor dos dois mundos.

Está atento ao lado obscuro do turismo

Como em tudo, o turismo também tem um lado obscuro. Seja o turismo de orfanatos, o turismo sexual ou a exploração animal, é fundamental estares informado sobre estas atividades ilegais. Na Tailândia, o turismo do sexo ofusca a beleza natural do país e a prostituição e o tráfico humano como são preocupantes. Infelizmente, as histórias insólitas das massagens com “finais felizes”, os ping pong shows e os lady boys, não são apenas histórias, mas sim uma realidade bem presente em países como a Tailândia ou no Brasil. No Nepal ou no Camboja, continua a aumentar a quantidade de falsos orfanatos. Estes ditos espaços são utilizados ilegalmente como negócios de exploração turística, seja através do voluntariado a troco monetário, seja através de negócios paralelos corruptos. O mesmo acontece através da exploração de animais exóticos e selvagens para fins ilícitos ou ganho monetário.

Cabe-nos a nós, enquanto viajantes, assumir um papel ativo no combate destes problemas, seja evitando este tipo de entretenimento, denunciando quaisquer suspeitas ou partilhando e sensibilizando os outros para esta realidade.

Rejeita qualquer atividade de entretenimento e exploração animal

Passeios de elefante, nadar com golfinhos, tirar fotografias junto de tigres e crias de leão ou beber Kopi Luwak. A maior parte deste animais são, como o nome indica, selvagens. Ainda que na maior parte dos casos não sejam perigosos, são sempre abusados e mal tratados para que obedeçam. A verdade é que estas experiências só existem porque ainda há pessoas que insistem em procurá-las – consciente ou inconscientemente. Evita-as a todo o custo! Tem também atenção aos ditos “santuários” de animais, principalmente na Ásia. Pesquisa bem e opta por organizações e iniciativas que ajudem realmente na preservação de espécies ameaçadas. Os parques nacionais ou os centros certificados de resgate animal são um bom ponto de partida se procuras o contacto com os animais, e uma escolha mais segura.

Faz a mala de forma leve e consciente

Todos nós, em algum momento enquanto viajantes, levámos a expressão “levar a casa às costas” demasiado a sério. No momento de fazer a mala, empacotamos tudo o que vamos precisar – ou que achamos que podemos vir a precisar. Mas a verdade é que, na grande parte dos casos, acaba por nem sair da mala. Por isso, procura levar apenas o essencial. Em vez de levares uma muda de roupa para 15 dias, opta por combinações mais simples para o dia a dia, e uma ou outra alternativa para momentos mais especiais. Basta passares 2 ou 3 dias no mesmo local e é muito provável que consigas lavar a tua roupa suja.

Deixa os estereótipos e preconceitos de parte, e aprende a ser mais consciente nas escolhas que fazes. Todos podemos ser minimalistas nas viagens, é apenas uma questão de pensarmos melhor nas coisas. Um dos segredos do minimalismo é o de diferenciar o que são de facto as nossas necessidades reais, e aquilo que consumimos porque achamos que precisamos. Além de ajudares a reduzir o impacto ambiental do consumo de combustível em excesso – quanto maior for o peso que transportas, maior a poluição causada – será muito útil no momento de andar pelas ruas, subir escadas ou entrar nos transportes.

Diz “não” aos artigos de higiene pessoal dos hotéis

Chegar a um hotel e ter uma pequena coleção artigos de higiene pessoal é óptimo. Guardá-los e levá-los connosco, ainda melhor. Quem nunca?! Nunca se sabe quando é que podem vir a ser úteis… A verdade é que raramente o são e acabamos com uma pequena coleção lá em casa. Na próxima estadia, pensa duas vezes e resiste à tentação. Vais perceber que é a melhor opção! Opta por levar contigo os teus próprios produtos, sejam eles pequenos frascos de silicone reutilizáveis ou alternativas mais sustentáveis como o sabonete e shampoo seco. Assim, deixas os frasquinhos intactos, e estás a seguir alternativas bem mais amigas do ambiente.

Compra localmente e contribui para a economia local

Na sua essência, o turismo sustentável é deixar um impacto positivo no destino para onde vais viajar. Uma das melhores formas, e mais fáceis, de o fazer é fazer compras em pequenos negócios locais. Seja no alojamento, na comida, nas experiências, nas lembranças e artesanato, aposta no comércio local. Ainda assim, sê consciente no momento de qualquer compra. O Sudoeste Asiático e os seus infinitos night markets podem ser uma verdadeira tentação, por isso pensa duas vezes antes comprares o que quer que seja. Não compres só por comprar, e dá antes prioridade a produtos que tenham verdadeiro valor para ti – seja ele prático ou sentimental. Presta ainda atenção, como a venda de marfim ou corais, ou a compra de lembranças a crianças. Quando estive no Vietname, comprei um conjunto de palhinhas de bamboo. Era algo que já queria comprar há algum tempo, e acabou por ter ainda mais significado.

Respeita o ambiente e não deites lixo na natureza

É uma regra básica que devemos aplicar não só em viagens, mas também no nosso dia-a-dia. Se vais passar o dia na praia, fazer um trilho ou acampar, leva contigo um saco do lixo. Onde quer que seja, traz sempre contigo o lixo que fizeres! Segue a máxima da moda: “não deixes nada para além de pegadas”. Aproveita também para ajudar as comunidades locais e, pelo caminho, vai apanhando o lixo deixado por outras pessoas. Não é de todo agradável, mas no final vais sentir que deixaste um impacto positivo no mundo. Este não é só um problema de quem deixou ali o lixo, é um problema de todos.

Participa em ações de limpeza

Por todo o mundo são cada vez mais frequentes as iniciativas de limpeza das praias, parques ou reservas naturais. Por isso, procura online qual e dedica umas horas do teu tempo em viagem a ajudar as comunidades locais. É uma óptima forma de ter um impacto positivo no destino para onde vais viajar, e acabas por conhecer novas pessoas.

Os hábitos nem sempre são fáceis de mudar, mas se cada um de nós fizer uma pequena mudança que seja nos seus hábitos e rotinas, todos juntos fazemos certamente a diferença!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.