Memórias de ViagemTwo Feet on the Ground

SIGIRYA: TUDO O QUE PRECISAS DE SABER ANTES DE VISITAR

No verde exuberante das planícies centrais do Sri Lanka ergue-se uma das suas mais imponentes obras primas: Sigiriya. As paredes quase verticais desta rocha imponente elevam-se nas alturas, numa subida vertiginosa até ao topo. É ali, a 370 metros de altura, que se encontram as ruínas da antiga civilização de Sigirya. Originariamente construída na forma de um leão agachado, com a cabeça e as patas esculpidas na rocha, Sigirya significa, literalmente, a “Rocha do Leão”. A antiga capital do Sri Lanka, também conhecida como Lion Rock, é um dos marcos históricos mais importantes do Sri Lanka. No topo da rocha, o complexo original da cidade era composto por jardins, piscinas naturais, passagens secretas, e desenvolvidos sistemas de cisternas e hidráulicos – que funcionam até hoje. Sigirya é hoje um dos mais importantes exemplos de planeamento urbano da Antiguidade.

INFORMAÇÃO ÚTIL

O bilhete custa 30 dólares por pessoa (2016), que podem ser pagos na moeda norte-americana ou no equivalente na moeda local – a rupia do Sri Lanka. O bilhete pode também reservado online no Central Cultural Fund e levantado nas bilheteiras do complexo.

A entrada dá acesso ao complexo onde fica Sigirya Rock, que se localiza no distrito de Matale. O bilhete inclui também a entrada no Sigiriya Museum, que te leva a conhecer mais da história de Sigirya. Sigirya está aberta ao público entre as 7:00 e as 19:00.

COMO CHEGAR

No centro do famoso triângulo cultural do Sri Lanka ergue-se a fortaleza de Sigirya, muito perto de Dambulla e Polonnaruwa. Há autocarros públicos que saem de Dambulla a cada 30 minutos e que são extremamente baratos – 50 LKR são aproximadamente 30 cêntimos. A viagem demora menos de 1 hora. Aconselho-te a viajar nos transportes públicos do Sri Lanka, além de ser seguro e barato, é uma experiência cultural a não perder. Em alternativa, podes negociar a viagem de tuk tuk e fazer a viagem em cerca de 30 minutos por pouco mais de 5 euros .

Podes ainda optar por ficar hospedado nos hotéis nas redondezas, que te vão permitir uma experiência única da área de Sigirya. Durante a minha viagem ao Sri Lanka fiquei hospedada em Dambulla numa guesthouse de uma família cingalesa, o que tornou a experiência ainda mais autêntica.

O QUE VISITAR

O caminho tem início nos jardins do palácio, uma série de jardins geométricos independentes, mas ligados entre si. São eles Water Gardens, Boulder Gardens e Terraced Gardens. Depois de subires uma escada em caracol muito estreita, vais encontrar uma galeria ao ar livre de frescos pintados na rocha. As pinturas, de cores vividas, estão extremamente bem preservadas e tudo se deve à exposição solar que as protege.

Sigirya conta também com um monumento, no mínimo, curioso: a Mirror Wall. Conta-se que esta parede de pedra estava de tal forma polida que o rei a usava como espelho. Hoje, está repleta de inscrições e assinaturas de milhares de visitantes que por ali passaram ao longo dos tempos.

Depois de passares pela Lion’s Gate, entre as patas do leão, começas a subida vertiginosa por uma escada de ferro íngreme e estreita. Pelo caminho, vais encontrar muitos locais que dão um “empurrão” a quem começa a ter dúvidas da … da subida. Apressadamente, rebocam-nos até ao topo, deixando muito pouco tempo para pensar na subida.

QUANDO VISITAR

O clima é quente e seco nesta região, e as temperaturas podem variar entre os 20º e 35º. A melhor altura para visitar Sigirya é durante a época seca, que vai de Dezembro a Abril, evitando assim a época das chuvas.

Reserva uma manhã para explorar Sigirya. A subida não é fácil e, uma vez lá em cima, vais querer aproveitar a imensidão da paisagem ainda mais. O ideal é visitar Sigirya de manhã cedo ou ao final da tarde, quando o calor e a multidão não é tão intensa. Leva água, mantêm-te hidratado e prepara-te fisicamente para a subida. Apesar de não ser a mais fácil, vai valer cada segundo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.