Sabores do MundoTwo Feet on the GroundViagens na Nossa Terra

Roteiro pela gastronomia micaelense

Uma das melhores formas de conhecer um novo país ou região é pela sua gastronomia, e nos Açores não é excepção. São Miguel não é só as paisagens idílicas, lagoas misteriosas e um mar de aventuras por descobrir.

À semelhança do que acontece um pouco por todo o arquipélago dos Açores, a gastronomia micaelense é rica em sabores e textura provenientes da terra e do mar. Da imensidão do Atlântico vem com abundância o peixe e o marisco mais fresco, quase acabado de pescar localmente. Dos prados verdejantes vem a carne suculenta das vacas (felizes, dizem) que passam por nós em qualquer ponto da ilha. As condições naturais tornam propício o cultivo de outras frutas exóticas como o ananás, maracujá, anona ou o araçá. Aliás, são as condições perfeitas para a existência de uma grande quantidade de produtos locais de grande qualidade, que enaltecem ainda mais a gastronomia micaelense.

O que comer em São Miguel

A cozinha de São Miguel é repleta de pratos frescos e naturais. Do peixe fresco, pescado localmente, marisco extremamente saboroso, carne suculenta e macias, às deliciosas sobremesas. Existem vários tipos de marisco que não podes deixar de provar, como as lapas, cracas e cavacos, uma espécie de lagosta tenra e saborosa. O peixe é cozinhado de diferentes maneiras, todas elas com algo em comum: a frescura. Quanto à carne, os bifes suculentos das famosas “vacas felizes açorianas”- procura no menu o “Bife à Regional” – , e o Cozido das Furnas, um cozido de carne feito numa panela debaixo do solo, são iguarias a não perder quando se fala de comida tradicional. E claro, não podes deixar São Miguel sem experimentar o Bolo Lêvedo, uma mistura entre um bolo e um pão, típico das Furnas, e as Queijadas de Vila Franca do Campo, o doce típico mais famoso dos Açores. A gastronomia micaelen ,hse é rica em sabores e textura provientes da imensid terra e do mar.

Lapas grelhadas

As lapas grelhadas, servidas ainda a borbulhar na frigideira, são um dos principais petiscos micaelense. Podem ser sirvidas simples ou com manteiga de alho e ervas, e sempre com limão. Na ilha há uma variedade enorme de marisco e em qualquer local e a qualquer hora há sempre barriga para um petisco vindo do mar. Para além das lapas, há também o polvo, o caranguejo, as cracas ou os cavacos. Tudo fresco e ainda a saber a mar.

Bife à Regional

Ir aos Açores e não comer um bife é como ir a Roma e não ver o Papa (ou pior!). Em terra de vacas felizes não se pode falar na comida micaelense sem fazer referência ao famoso bife à regional. Pode ser encontrado praticamente em qualquer restaurante da ilha. Mas há que o experimentar num dos templos do bife à regional, como a Associação Agrícola de São Miguel, na Ribeira Grande. Há também o Alcides, um dos locais mais antigos e que dizem ser o originário deste prato; ou o Galego,  ambos com interpretações muito elogiadas deste prato tipo de São Miguel. Qualquer seja a versão que lhe seja servido, há ingredientes que não podem; um suculento bife com muito alho e pimenta da terra. É servido acompanhado de batatas fritas, e há que o sirva também com ovo a cavalo.

Cozido das Furnas

Uma das principicais atrações gastronómicas da ilha é o cozido das Furnas. É um prato único cozinhado em caldeiras vulcânicas debaixo do solo. Na povoação, há vários restaurantes com o típico cozido, como o Miroma ou o Tonys. O cozido é feito com carne de vaca, porco e frango, batata, batata doce, inhame, cenoura e couve, e enchidos. Todos os ingredientes são colocados em panelas que são enterradas no solo e cozinhados lentamente durante cerca de 6 horas com o calor resultante da intensa atividade vulcânica existente na região. À hora certa podemos assistir à preparação da refeição junto à lagoa.

Queijada de Vila Franca do Campo

De entre os doces típicos, as Queijadas de Vila Franca do Campo têm uma especial fama. A receita destas deliciosas queijadas foi criada pelas freiras do antigo Convento de Santo André, em Vila Franca do Campo, e tornaram-se verdadeiras reliquias da doçaria conventual açoriana. São também popularmente conhecidas na localidade como as “Queijadas da Vila do Morgado”.

Ananás dos Açores

Nos Açores, o ananás é rei. De sabor doce e aroma muito agradável, o ananás As estufas de ananases seguem as práticas ancestrais: cultivado em estufas de vidro, com utilização de técnicas tradicionais como o “fumo” e a “cama quente”. O resultado são ananases de sabor e textura características, como não há igual. Seja para a típica entrada de morcela com ananás, a compota de ananás, ou licor de ananás, podes encontrar o ananás em qualquer iguaria açoriana.

O Ananás dos Açores é produzido em estufas de vidro, com a utilização de técnicas de cultivo tradicionais, sendo aplicado “fumo” e utilizada “cama quente” à base de matéria vegetal.

Chá

São Miguel é o único produtor de chá para fins industriais em contexto europeu, e por isso as plantações da Gorreana e de Porto Formoso são as duas únicas plantações de chá da Europa. Plantado nesta ilha desde o século XIX, o chá açoriano encontra-se no concelho de Ribeira Grande, a norte da ilha. O chá verde é o mais popular, embora também se produza o chá preto em diferentes variedades. Na visita às fábricas-museu de ambas aprende-se sobre a história e processo de cultivo do chá açoriano, e é também possível degustar.

Pimenta da terra

A Pimenta da Terra é um produtos mais característicos de São Miguel, que faz parte de muitas receitas regionais. É uma espécie de malagueta local muito utilizada para temperar diferentes pratos, ou é servido como entrada com queijo fresco.

Bolo Lêvedo

Originário da região das Furnas é também o popular bolo lêvedo. É uma espécie de pão redondo, achatado e adocicado. A sua origem remonta aos primeiros colonos desta localidade micaelense, constituindo a sua base de alimentação. Pode ser comido simples, com manteiga ou com doce; logo pela manhã ou a acompanhar qualquer refeição. É possível encontrar esta especialidade em qualquer superfície comercial, mas não há nada como ir diretamente à origem. Nas Furnas, visita os seus dois maiores produtores: Maria da Glória Moniz e Rosa Quental.

Onde comer em São Miguel

Associação Agrícola de São Miguel

No menu procura o “Bife à Associação”, um bife frito com vinho branco, alho e pimenta da terra. São 400, 300 ou 200 gramas de carne macia e suculenta. Pode escolher entre carne do lombo, da vazia ou do pojadouro, mas qualquer um deles vem confecionado da mesma forma e acompanhado por batatas fritas e ovo a cavalo. Convém reservar com antecedência, pois apesar de ter uma sala grande com capacidade para 140 pessoas, o restaurante está sempre lotado e com filas de espera de clientes inusitados.

Cais 20

É uma cervejaria situada na freguesia de São Roque, em Ponta Delgada. Ideal para quem procura o peixe e marisco mais fresco que o mar tem para dar. Para começar pede as lapas grelhadas como entrada. Também há pratos de carne e pregos com pimenta da terra. De barriga cheia, caminha pelo paredão junto ao mar até ao centro de Ponta Delgada, a cerca de 20 minutos do restaurante.

Mariserra

Localizado numa casa típica com vista priviligeada para o mar, o restaurante Mariserra é daqueles restaurantes locais de paragem obrigatório. Pede o Arroz de Polvo Com Filetes do MesmoEntre as outras especialidades está o Arroz de Marisco com Lagosta, Arroz de Tamboril com Camarão, Massa de Cherne ou qualquer marisco e peixe fresco.

Miroma

No centro da vila das Furnas encontras o restaurante Miroma, um dos especialistas da região no que toca ao Cozido das Furnas. A especialidade é, claro, o seu cozido das Furnas cozinhado aproveitandos os vapores quentes da atividade vulcânica do local. As doses grandes e bem servidas para que possas experimentar o verdadeiro cozido das Furnas e formar a tua própria opinião – há quem adore e quem odeie. Convém fazer marcação de véspera durante o Verão, já que o cozido move verdadeiras legiões.

Louvre Micaelense

Uma loja com mais de 100 anos de história, recuperada em 2015 e agora aberta ao público. Noutros tempos vendia produtos, vindos de Paris, à alta sociedade micaelese. Hoje, é a loja mais bonita de Ponta Delgada e vende sobretudo produtos açorianos e de marca própria. Mesmo no centro da cidade, é o local ideal para um pequeno-almoço tranquilo, um café com um bolo e uma boa conversa.

➳ LER: DIA 1 A 8 | SÃO MIGUEL, À DESCOBERTA DA ILHA VERDE