Guias de ViagemRoteiro de ViagemTwo Feet on the GroundViagens na Nossa Terra

ROTEIRO DE VIAGEM | São Miguel, Açores

No meio do Atlântico, há um arquipélago com 9 ilhas com uma beleza natural pronta a ser explorada: os Açores. . Fora dos roteiros habituais internacionais até há pouco tempo, o “segredo mais bem guardado da Europa” tem estado recentemente nas bocas do mundo. São Miguel, a ilha verde na imensidão do azul, é a maior ilha do arquipélago açoriano. Repleta de flora exótica, paisagens deslumbrantes, actividade vulcânica pulsante e uma miríade de paisagens deslumbrantes em todos os cantos, é o local perfeito para ir para fora, cá dentro.

Dia 1 – Lagoa do Canário, Miradouro da Grota do Inferno e vistas para Lagoa das Sete Cidades

Chegamos a São Miguel já de madrugada, e por isso o primeiro dia começa mais tarde. Saimos para explorar a região da Lagoa das Sete Cidades e os miradouras com vista para a maior lagoa de São Miguel. A primeira paragem é no aqueduto do Carvão. Seguimos até à Lagoa do Canário, que fica no Parque Florestal da Mata do Canário. Continuamos o caminho a pé pelo parque e subimos por entre a vegetação até ao Miradouro da Grota do Inferno. Jantamos em Ponta Delgada no restaurante Mariserra, um dos melhores restaurantes de São Miguel. Depois de jantar passeamos pelo centro da cidade, onde as Portas da Cidade dão as boas-vindas aos recém-chegados a São Miguel.

Dia 2 – Caloura e Praia de Água d’Alto

Aproveitamos o dia para descansar e para desfrutrar ao ritmo açoriano. O destino é a Caloura, onde passamos a tarde a explorar a região. Subimos ao Miradouro do Pisão e ao o Miradouro da Rua do Botelho, com paisagens panorâmicas para o oceano. Paramos na Praia de Água d’Alto para apanhar sol e mergulhar no mar agitado.

Dia 3 – Povoação, Faial da Terra, Sanguinho e Nordeste

Começamos o dia em direção a Povoação, uma pequena vila na costa a sul da ilha. Continuamos caminho até ao Faial da Terra, o “presépio da ilha”. Passamos o resto da tarde a fazer o trilho do Sanguinho. Começamos o trilho no Faial da Terra e seguimos por entre a vegetação na direção do Salto do Prego. A primeira paragem é na Cascata do Salto do Prego, e depois na aldeia do Sanguinho. De volta ao carro, seguimos até ao Nordeste com paragens rápidas no Miradouro da Ponta da Madruga, no Miradouro da Ponta do Sossego e no Farol do Arnel

Dia 4 – Lagoa das Sete Cidades, Mosteiros e Ferraria

O dia é dedicado a explorar a mais famosa lagoa de São Miguel: a Lagoa das Sete Cidades. A primeira paragem é no Miradouro da Vista do Rei, que tem uma das melhoras vistas para a lagoa. Exploramos o interior do hotel abandonado Monte Palace e subimos ao terraço que tem uma vista incrível para toda a ilha. Descemos até à freguesia das Setes Cidades, a pequena povoação situada no interior da caldeira do vulcão das Sete Cidade, onde almoçamos e damos um passeio pelo centro da vila. Continuamos o passeio nas margens da Lagoa Verde e da Lagoa Azul antes de seguir caminho em direção à costa oeste da ilha. Paramos no Miradouro da Ponta do Escalvado, que oferece uma vista panorâmica para a Ferraria e para os famosos ilhéus dos Mosteiros, as duas paragens seguintes. Terminamos o dia com um mergulho nas quentes águas termais da Piscina Natural da Ferraria. Paramos no Farol da Ponta da Ferraria, ainda a tempo de ver o sol a desaparecer no horizonte. Jantamos peixe e marisco fresco no Cais 20, um dos pontos de paragem obrigatórios na gastronomia micaelense.

➳ LER: Monte Palace, no topo do hotel abandonado em São Miguel

Dia 5 – Lagoa do Fogo, Caldeira Velha e Ribeira Grande

Começamos o dia na Lagoa do Fogo, a segunda maior lagoa de São Miguel e a que se situa num ponto mais alto. As paragens no Miradouro do Pico da Barrosa, Miradouro da Lagoa do Fogo e no Miradouro da Belavista permite, todas elas igualmente surpreendentes. A chuva miuda não é convidativa a grandes trilhos pelo que seguimos até à Caldeira Velha. Seguimos depois até à Ribeira Grande, onde demos uma volta e fizemos um almoço rápido no Miradouro do Palheiro. De volta à estrada seguimos novamente para o centro da ilha, agora até à  Lagoa do Congro. Esta lagoa situada no fundo da cratera do vulcão é . Aproveitámos o final de tarde para fazer tempo na Praia dos Moinhos, e seguimos até à Vila de Rabo de Peixe para jantar. Na concorrida Associação Agrícola de São Miguel provamos o típico Bife à Regional, um dos principais pratos da gastronomia da ilha.

Dia 6 – Rota do Chá e Furnas 

A parte da manhã é inteiramente dedicada a percorrer o norte da ilha e conhecer as plantações de chá dos Açores – as únicas na Europa para fins industriais. A Fábrica de Chá de Porto Formoso e a Gorreana são os dois maiores produtores de São Miguel. Nesta rota do chá açoriana visitamos ambas as fábricas e as respetivas plantaçoes, antes de seguir caminho até às Furnas. A primeira paragem, inusitada, é no Observatório Microbiano dos Açores. Almoçamos o famoso cozido das Frunas no coração do vulcão com o mesmo nome no restaurante Miroma. Seguimos até às margens da Lagoa das Furnas, onde ainda conseguimos ver a preparação dos cozidos nas caldeiras a vapor vindo do interior da terra. Regressámos ao centro das Furnas e seguimos até ao Parque Terranostra, um dos mais fascinantes jardins botânicos, onde visitamos o parque e nadamos nas águas medicinais do Tanque de Água Termal do parque. Com o cair do dia, mudamo-nos para as águas termais da Poça da Dona Beija. No caminho de regresso a casa, paramos no Miradouro do Pico do Ferro para apreciar a vista panorâmica para a Lagoa das Furnas e arredores.

Dia 7 – Ponta Delgada e arredores

O último dia é dedicado à capital da ilha de São Miguel: Ponta Delgada. Começamos com a visita matinal ao Mercado da Graça, seguida por um passeio pela Marina de Ponta Delgada. Tomamos o pequeno-almoço no secular Louvre Micaelense, um café cheio de história no coração da cidade. De seguida, paramos no Forte de S. Brás, monumento construído no século XVI para proteger a cidade dos ataques de piratas. De volta à estrada seguimos até Vila Franca do Campo. Do caminho de regresso a Ponta Delgada paramos em Lagoa na Fábrica de Cerâmica Viera e, já mais perto, nas plantações “Ananases Santo António” e “A. Arruda”. Terminamos a tarde com um almoço tardio no Café Central de Ponta Delgada e seguimos até ao aeroporto para o voo de regresso a Lisboa.

➳ CONTINUAR A LER: São Miguel, à descoberta da ilha verde