Diário de Bordo

Dia 5 | San Fruttuoso, Portofino e a incrível Riviera italiana

Pode ser um clichê, mas há acasos que valem a pena. Como tínhamos ouvido que uma das melhores formas de conhecer Cinque Terre era pelo mar, decidimos tentar fazer essa viagem no dia seguinte, de forma que nos levasse também a Portofino. Saímos de casa em busca de um barco que nos permitisse fazer esse percurso, mas acabámos por descobrir que a única tour que fazia o trajecto funcionava apenas durante um dia específico da semana. Em La Spezia, disseram-nos que para chegar a Portofino a melhor forma seria de carro, mas que o estacionamento era muito caro. Para não perder mais tempo às voltas, decidimos fazer-nos à estrada e seguir até Portofino. Mas uma rápida pesquisa no Google apresentou-nos uma alternativa que nos pareceu mais viável: ir até Sestri Levante e deixar o carro estacionado numa zona que não fosse paga e daí apanhar um shuttle boat que fazia a viagem por esta parte da costa de Liguria, com paragens em Portofino e San Frutuozzo. Foi a melhor decisão de que podíamos ter tomado.

Em Siestre Levante, depois de muito procurar pelo porto de saída do barco, estacionar o carro e comer uma rápida fatia de panini, seguimos para o barco que nos levou a conhecer a incrível costa de Liguria. Saído de Siestre Levante, o barco fez duas rápidas paragens para recolher mais passageiros em 2 portos a cerca de 15 minutos um do outro e seguiu junto à costa até San Frutuzzo, passando ao largo de Portofino.

À chegada a San Fruttuoso deparamo-nos com um verdadeiro paraíso: uma baía de águas azuis cristalinas com uma pequena praia e a Igreja de San Fruttuoso  como pano de fundo. As únicas formas de chegar a San Fruttuoso é de barco ou através de um trilho a pé desde Portofino. Aqui a vida parece simples, já que existem apenas uma pequena praia, uma igreja e algumas casas e comércio local. O azul turquesa do mar contrasta com o verde-escuro da vegetação na encosta. A paragem em San Fruttuoso foi de cerca de 1 hora, tempo para percorrer a minúscula vila e dar um mergulho no mar salgado (e perder uma lente de contacto).

É também aqui na baía de San Fruttuoso que está submersa desde 1954 a estátua de Cristo degli Abissi (Cristo do Abismo), uma estátua de bronze de Cristo. Uma das principais atracções da região para os amantes de mergulho, a estátua de 2,50 metros de altura foi ali colocada a 17 metros de profundidade, numa espécie de homenagem a um mergulhador que ali faleceu durante o mergulho. As mãos de Cristo, voltadas para a superfície, encontram-se abertas em sinal de paz. Para aqueles que não podem admirar a estátua no mergulho, existe uma réplica na Igreja San Fruttuoso. Pelo tempo limitado não foi possível fazer este mergulho, talvez para uma próxima 🙂

De volta ao barco, este segue em direcção à baía de Portofino, uma cidade minúscula escondida num cantinho ensolarado de Liguria. Esta pequena e encantadora vila de pescadores foi transformada num verdadeiro paraíso de riqueza e glamour e é o destino de luxo da Riviera Italiana. Destino de férias de celebridades de todo o mundo, Portofino é mais do que aquilo que ostenta. Apesar dos luxosos e gigantescos iates ancorados na baía, as coloridas construções de aspecto rústico tornam tudo mais interessante. É um lugar tranquilo, mas o centro da vila junto ao mar – a Piazzeta – está sempre cheio de gente. Depois de chegarmos a Portofino e passar pela sua rua principal, fizemos algumas compras e acabámos a comer um gelado mesmo antes de regressar ao barco que no levou de volta até Siestre Levante.

Antes de regressar a casa parámos num supermercado para comprar comida para o jantar, já que no dia seguinte tínhamos que acordar cedo para seguir para o próximo destino da nossa viagem por Itália.