Two Feet on the Ground

Two Feet on the Ground: as origens

Two Feet on the Ground: o ínicio, com os pés bem assentes na terra

No início de 2016, depois de uma viagem pelo Sri Lanka – o primeiro país que visitei no sudoeste asiático – percebi que há tanto do mundo para descobrir e que perdemos demasiado tempo a desejar fazer isto e aquilo, em vez de sair em busca do que nos realmente inspira e motiva.

Meses depois, e com o bichinho por viajar novamente activo, surgiu a ideia de fazer uma viagem sozinha pela Ásia, naquela que seria a minha segunda viagem por terras asiáticas e a minha primeira viagem solo. Quando disse a família e amigos que estava a pensar viajar sozinha pelo sudeste asiático, a reacção foi unanime: “mas vais sozinha?”, “leva-me contigo”, “não podes fazer isso aqui na Europa?”. Bem, a ideia de viajar sozinha é realmente… viajar sozinha. E a Ásia pareceu um desafio mais interessante.

O “Projecto Ásia”, como carinhosamente o apelidei, começou a compor-se e os destinos foram escolhidos: Singapura, Malásia e Indonésia, numa viagem que duraria 25 dias. Depois de muita pesquisa, horas a ver vídeos de viagem e a ler crónicas de outros viajantes, decidi que queria deixar de fazer parte dos “sonhadores” e seguir o meu instinto e partir aventura. Se Vasco da Gama chegou à India só com uma bússola (e um barquito, vá), eu, com o meu smartphone cheio de apps tipo Macgyver também iria chegar ao meu destino.

Passados todos os receios e indecisões, o projecto deixou de ser um projecto e tornou-se realidade quando comprei o voo de Lisboa para Barcelona, cidade que depois de uma escala no Qatar, me levaria rumo ao meu ponto de partida: Singapura. Já não tinha como voltar atrás. Na realidade, até tinha… Podia-me ter ficado por 3 semanas e meia em Barcelona. Nada contra nuestros hermanos, mas o sudoeste asiático pareceu-me bem mais promissor.

Viagem marcada e preparativos em curso, surgiu a ideia de começar a partilhar as minhas próprias histórias de viagem. Aliando o meu gosto pela escrita, com os hobbies da fotografia e edição de vídeo, nasceu assim o blog “Two Feet on the Ground”. E porquê “Two Feet on the Ground”? Porque, como tudo na vida, para descobrir o mundo à nossa volta, é preciso termos os dois pés bem assentes na terra – no sentido literal e figurativo para expressão, seja lá o que isso for. A inspiração veio também da fotografia em cima, tirada em Londres em 2014, e que se tornou um hábito desde então em cada viagem que faço e cada destino para onde viajo e que serviu de mote à criação deste blog.

Esta é a primeira crónica que escrevo, já em viagem, e que marca o início deste novo desafio. Deste lado, prometo partilhar convosco todas as histórias e aventuras por esse mundo fora, assim como dicas úteis que me ajudaram em cada viagem. Espero que, desse lado, se sintam inspirados (tal como eu me senti ao ver crónicas de outros viajantes) a sair da vossa zona de conforto e ir em busca de novos horizontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.